Logo Centro
ESCREVA-SE
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

A telenovela e o racismo estrutural

 

Por Marisa Pazian Nakad

 

São Tomás de Aquino defendeu que todas as pessoas devem ser tratadas com a mesma importância. Com base na alienação sobre o racismo estrutural presente nas telenovelas brasileiras, vemos que essa ideologia é contrariada, uma vez que no Brasil essa discriminação é recorrente. É necessário transformar essa situação que tem como causas a pequena participação de atores negros e a maneira inferior com que são tratados.

Em primeiro lugar, deve-se pontuar que as telenovelas influenciam a vida de milhares de brasileiros, sendo um dos principais meios de entretenimento e debate de temas como feminismo, lutas LGBT e até mesmo xenofobia. Entretanto, os afrodescendentes ainda são tratados com inferioridade social, intelectual e racial, sempre ocupando papéis secundários ou interpretando marginais.

Além disso, a participação de negros ainda é pequena. Apesar do gradativo aumento, essas mudanças não são efetivas, já que a maioria do elenco continua branca. Angela Davis, símbolo mundial na luta contra o racismo, afirma que, pela TV brasileira, seria impossível deduzir que 54% da sua população é negra.

Portanto, esse preconceito onde os afrodescendentes são associados a classes inferiores e raramente colocados em papéis importantes, reforça a ideia de que as telenovelas tentam mascarar o racismo, mas refletem exatamente a maneira que eles são tratados na sociedade, com desigualdade e desrespeito.

 

(Por Marisa Pazian Nakad, aluna do 1º. Ano do ensino médio)

© 2020 Anglo - Curso Cidade de Araçatuba
PARA ESTAR NO MUNDO DE UM JEITO ÚNICO